Início Anime Fã Turma da Mônica chega a Ásia em exposição.

Turma da Mônica chega a Ásia em exposição.

1321
0

Quando se trata de desenhos animados, o primeiro nome que vem à mente é Walt Disney.

No entanto o Brasil possui personagens infantis incríveis criados por Mauricio de Sousa, “A Turma da Mônica” é uma série de histórias em quadrinhos com quatro crianças de sete anos de idade, que tem sido popular há décadas, vendendo mais de 1 bilhão de cópias e conquistando uma enorme base de fãs com sua versão animada.

Quando o cartunista fundou seu próprio estúdio de animação, a Mauricio de Sousa Produções, em 1970, mais de 90% da animação presente no Brasil era dominada pela Disney. Depois de décadas, no entanto, seu estúdio comanda agora mais de 80% do mercado brasileiro.

monica7

A famosa protagonista Mônica, que sempre usa um vestido vermelho e segura um coelho de pelúcia azul, foi inspirada pela própria filha de Maurício de Sousa. O cartunista mestre, de 79 anos de idade, visitou recentemente a Coréia juntamente com sua filha para participar de uma exposição individual intitulada “Masterpieces with Monica: From Louvre to Metropolitan”, com 51 obras de arte que ele fez inspirando-se em pinturas proeminentes, como Da Vinci “Mona Lisa” e Botticelli “O Nascimento de Vênus”, no Museu Gyeonggi de Arte Moderna.

Para seus fãs coreanos, Maurício de Sousa pintou suas próprias versões de três pinturas famosas da Era Joseon (1392-1910), sendo elas de Kim Hong-do “Seodang”, “Retrato de uma Beleza” de Shin Yun-bok e “Cenário no dia Dano”.

Sobre sua história de sucesso em animação De Sousa disse que “a criação de personagens que todos podem se reconhecer é o mais importante.” “Ao fazer um filme de animação, você tem que se certificar de que tem boa qualidade. Mas você também é obrigado a criar personagens amáveis para atrair mais pessoas para a animação”, disse o cartunista no Centro de Animação Seoul em Seul, capital da Coréia do Sul.

Além de colocar os holofotes sobre os personagens, ele também ressaltou a importância de um plano bem organizado. “Eu amei desenho e pintura na minha infância, como meu pai era um pintor. Antes de começar a serialização meu trabalho em desenhos animados em um jornal, eu trabalhava como repórter policial na Folha de São Paulo, um jornal diário em São Paulo há alguns anos e que realmente me ajudou a compor histórias bem traçadas”. “Ao escrever relatórios de crime, eu era obrigado a escrever histórias baseadas em fatos de uma forma concisa”. “Isso também poderia ser aplicada aos desenhos animados, pois cada situação deve ser descrita de forma simples como em artigos de jornal”, disse ele.

IMG_3450

De Sousa classificou a animação coreana como altamente atratível por seus personagens únicos. “Eu vi vários tipos de personagens de animação coreanos ao visitar Seoul. Embora eles sejam novos para mim, eu podia ver um grande potencial de animação coreana durante a minha estada aqui no Seoul Animation Center”, disse ele.

Em conselhos aos estúdios com sede na Coréia, de Sousa também enfatizou a aprendizagem avançada de animação que faz o sistema dos estúdios americanos. “Nós também tivemos uma competição feroz com os estúdios de animação norte-americanos e pudemos aprender muito enquanto competíamos juntos”. “Eu sei que muitos estúdios de animação coreanos estão trabalhando como subcontratados de estúdios norte-americanos, uma vez que ainda é difícil para eles identificarem sua originalidade. Mas eu acho que trabalhar com esses estúdios que avançam em sistemas sólidos será útil para os estúdios coreanos no longo prazo”, disse ele.

Maurício de Sousa escolheu três obras de arte de Kim e Shin como bons exemplos, que mostram o caráter indígena da Coréia ao mundo. “Eu me senti pressionado quando regenerando pinturas coreanas, uma vez que elas são diferentes de pinturas ocidentais, que eu usei para desenhar até então. Mas no geral, estou satisfeito com o resultado”, disse ele, acrescentando que ele irá produzir uma pintura original adotando seus personagens e a atmosfera única das pinturas coreanas.

A exposição do cartunista brasileiro estréia em 23 de agosto de 2015, no Museu de Arte Moderna Gyeonggi em Ansan, província de Gyeonggi na Coréia do Sul.

Para mais informações, ligue para (031) 481-7048 ou visite www.monicainkorea.co.kr.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here