Início Coberturas #REVIEW 2 : HQPB 2015 por Lucas Santos

#REVIEW 2 : HQPB 2015 por Lucas Santos

800
0

A edição deste ano do HQPB foi, sem dúvida, uma das melhores em relação a outras edições. Trazendo várias novidades, uma ótima estrutura e ornamentação, o evento se tornou um dos maiores do ano, atraindo pessoas de diversas idades e estilos, em todos os seus três dias. Ao chegar no local no evento, já era perceptível o controlado sistema de segurança e de entrada, que foi bastante organizado, educado e receptivo. A maioria dos espaços que compunham o HQPB apresentaram uma excelente setorização e localização.

Os stands das lojas e da praça de alimentação estavam bem organizados, com uma ótima disposição ao longo do Espaço Cultural além do largo espaçamento do vão de circulação, especialmente para um evento de grande circulação de pessoas. Foi apresentado um leque de opções -boas opções, por sinal- na praça de alimentação, além da criatividade dos cardápios, especialmente nos nomes dos pratos -um tanto peculiares, digamos assim- inspirados em HQs e coisas do gênero. As lojas também deram um show, assim como em todas as edições, trazendo um grande sortimento de produtos sobre games, animes, bandas, entre outros, que nos dá vontade de levar tudo. Como fã de k-pop, só achei que este ano teve poucas opções de produtos relacionados, mas nada que desmerecesse a área de lojas.

Uma das coisas que mais me chamou atenção (assim como a de muitos que estiveram presentes no evento) foi a sessão de HQs. Este ano o HQPB trouxe uma enorme variedade de títulos de diversos gêneros distribuidos em um stand que por sinal ficou muito bonito. Creio que esta sessão encantou a muitas pessoas, até a quem não é fã de HQs. Outro fato que achei interessante sobre a sessão foi a localização do stand no Espaço, praticamente no “coração” do evento. Adorei o modo como estes fatores trouxeram de volta o foco principal do evento para o HQ, não tenho do que reclamar.

DSC09936

Outra área super interesse foi a dos games, ao lado da sessão de HQs. Foram opções de diversos gêneros, desde jogos de luta, de dança e de música, todos em máquinas de arcade. Isso me trouxe a lembrança dos velhos tempos que eu gastava todas minha fichas em jogos de carros e no Street Fighter nos gameplays da vida. Acho muito bacana resgatarem essa cultura dos arcades, diante de um mundo onde atualmente reinam os videogames, jogos de pc e de celular.

Como dito anteriormente, sou um grande de fã de k-pop e também participo de competições e tudo envolvido a este meio, então acho um pouco impossível evitar falar sobre o assunto neste review. O K-Pop Stage foi ótimo, bem organizado, com um bom espaço e uma grande variedade de músicas, além dos staffs que foram super receptivos. Foi bem divertida minha estadia por lá, por rever outros amigos kpoppers e suar de tanto dançar várias músicas no stage. O único ponto negativo que venho a relatar aqui é quanto a localização do stage no evento, que é em parte chegou a ser um pouco confusa. Me enrolei pra encontrar o K-pop Stage, só encontrando-o enfim ao ouvir uma música de k-pop vinda do primeiro mezanino, o que foi bastante engraçado. Fora o fato da localização, o stage foi uma área bastante divertida de se visitar.

DSC09896

A competição de k-pop este ano foi a melhor em relação às outras edições, com uma estrutura bem elaborada, iluminação e produções de boa qualidade trazidas pela equipe do evento, além é claro das ótimas apresentações dos grupos locais e de outros estados que deram um show no palco do HQ. Foi uma competição para deixar todos boquiabertos com a qualidade das coreografias, as expressões, o sincronismo, figurinos e outros itens avaliados. A disputa foi acirrada e emocionante. As apresentações foram muito bem executadas, por todas as equipes, e os erros, independente de seu nível, se tornaram irrelevantes aos olhos do público. Foi uma competição empolgante. As apresentações dos solos foram de certa parte prejudicadas devido ao grande número de desistências, sendo que apenas três pessoas se apresentaram. De certo forma, a equipe organizadora está de parabéns pelo ótimo trabalho, levando também em consideração de que eles não tem culpa de tamanha desistência de solos.

De forma geral, o HQPB não deixou em nada a desejar, trazendo várias opções de lazer para todos os gostos, fazendo com que nós pudéssemos reencontrar velhos amigos, vivenciar novas experiências, relembrar algumas delas, soltar nosso lado mais louco e criativo – ou até descobri-lo -, nos dar a oportunidade de ser o que quiser e até proporcionar momentos especiais e únicos na vida como o pedido em casamento durante o desfile cosplay. Já posso adiantar que o HQPB deste ano já entrou para história e já estou ansioso para ver o que irá rolar nas próximas edições.